quarta-feira, 16 de setembro de 2009

A, na lua!


Como seria a vida distante?
Passou pela minha mente de repete essa idéia ínfima.
O frio seria assolador? Não teria como andar, andar simplesmente?
A vista seria maravilhosa, um infinito branco de forma oval. Com algumas deformações é claro, mas estas não tirariam a exuberância da bela vista.
Em tratando-se de vista, quem diria que o imperceptível pode se tornar de repente tão vistoso? A ponto de chegar a ser mesmo viciante. Quando se pensa que a vida não pode mais te surpreender, lá vem ela com seus baques surdos!
Jamais imaginei que poderia me encantar por algo tão diferente de mim. Que com o tempo, me fez adaptar parcialmete ao seu "modo de vida". Me cativou com seu modo de agir, ou até mesmode simplesmente ser.
Incrível como você pode se unir à alguém, de tal modo que não consiga mais se imaginar sem aquela presença, pra tudo.
Bela palavra a amizade. O modo como começa, e a forma com que se desenvolve, porque não tem fim se for verdadeira.
Já ouvi dizer que amigos são irmãos que Deus nos permite escolher. Me adaptei à essa denominação.
Seu modo de enchergar as pessoas, como é? Não procure se fixar naquela primeira imagem. Sua opinião sobre alguém, pode mudar, constantemente eu diria.
Claro, não é de imediato que acontece, mas as poucos, ao nascer da confiança, forma-se em nós uma das coisas mais bonitas que se pode vivenciar. A amizade verdadeira.
Deve ser enorme a infelicidade de quem não tem alguém pra compartilhar momentos, segredos, ou até mesmo problemas. Problemas também é claro, afinal, duas cabeças pensam melhor que uma. Eu que o diga!
Fico feliz por ter encontrado sem procurar algo tão valioso. Agradeço a Deus.Que eu sempre possa receber presentes inesperados assim, que me fazem feliz, e que - eu espero - durem para sempre. Ái Ló.

2 comentários:

  1. amoor, eu adorei a homenagem *-* te amo muito ;)

    ResponderExcluir
  2. perfeito Tallys
    parabéns!

    ResponderExcluir