quarta-feira, 31 de março de 2010

Depois do além


E se eu fizer das últimas, minhas primeiras opções?
E se eu quiser falar de demônios juntamente de anjos?
E se viver for mais que só seguir normas?
E qual é a reação da raça para com os anormais?
E se eu fizer de uma linha reta, pontilhados pra eu caminhar?
E se não existir nada no fim? Simplesmente acabar. Nulo, vago, inexistente, infinito.
Quem definiu normalidade não viveu tudo que a vida proporciona, oferece.
E entre secos e molhados eu apenas vivo, descubro, sobrevivo.