segunda-feira, 28 de março de 2011

Cerebral Party


Suco de aspirina, injeção de anfetamina, morfina. Gasolina. Pra sustentar, limpar.
Tudo que há de confuso, paira, no ar.
Minha mente é uma neblina, mas nada de tão interessante, tudo é gás hilariante.

Rir. Melhor remédio. Cadê minha opinião? Se está aqui dentro ainda, mudou…mutante.
Só sei rir do meu passado. Veja você! Meu diário revirado, que tudo conta e omite aquilo que deve ser omitido, não mentido!
Depende de você. Quer saber? Pergunte. Talvez eu confie em você!
Responder? Não! Entre, dance, faça a minha festa em você. Afinal é isso que se passa aqui dentro.
Estroboscópios de diferentes intensidades. Mentiras, verdades. Busque o que quiser encontrar, e ao achar, ache também o caminho de volta. Sem revolta! Nem tudo tem volta…
Aceite, receba, perdoe. Eu aprendi a me amar. E no fim da festa, só se cansa e aproveita quem soube dançar.

sábado, 26 de março de 2011

Sonambulismo

Acorde pela manhã e lave seu rosto,
mas sem deixar descer pelo ralo seus sonhos.
Vista-se com entusiasmo, faça de suas roupas
escudo. Companhia.
Ao calçar seus sapatos sentado na beirada da cama,
aproveite para apanhar no chão seus desperdícios
que tanto o impediram de dormir na hora certa.
Alimente-se como quem busca energia para
mudar o mundo. Liberte-se do sono. Na verdade, o domestique.
Ao sair, receba o dia, faça chuva ou sol.
Saiba variar suas fontes de energia.
Continue trilhando seu caminho em busca da felicidade,
que travessa, anda a um passo atrás do nosso.