sábado, 19 de novembro de 2011

Libertinagem

Costumava ler histórias de amor e me apaixonar
Costumava pensar em morte e arrepiar
Costumava chorar ao sentir dor
Até que descobri a dor do amor

Costumava agir sem pensar
Mas pensar em agir já não é agir?
Costumava sempre me indagar
Até que um dia indagaram-me por mim

Costumava tentar me esconder
Costumava beijar quando tinha que morder
Até que me perdi ao me encontrar
E agora mordo sem querer

Costumava ver o mundo colorido, e o apagar
Costumava ouvir alto e só cantarolar
Me ofendia quando olhava-os comentar
E agora, me desculpe, ofendo ao falar